Nem Partidos Nem Sindicatos: A Reemergência das Lutas Autônomas no Brasil - Lucas Maia


Dados do Livro:

MAIA, Lucas. Nem Partidos, Nem Sindicatos: A Reemergência das Lutas Autônomas no Brasil. Goiânia: Edições Redelp, 2016. 305 p.


Sinopse:

Lucas Maia, nos ensaios reunidos no presente livro, apresenta uma análise fundamental das lutas sociais no Brasil contemporâneo ao lado de instigantes reflexões teóricas. As reflexões teóricas apontam para uma crítica radical de partidos e sindicatos, como organizações burocráticas e ultrapassadas (no sentido da lute proletária e revolucionária) e da necessidade de auto-organização e autogestão.  Essas reflexões são fundadas nas experiências revolucionárias do proletariado e retornam ao plano da luta concreta ao analisar algumas de suas diversas manifestações na sociedade brasileira. 


É nesse contexto intelectual que Lucas Maia analisa as lutas de classes no Brasil, discutindo as manifestações de 2013, movimentos grevistas, formas organizativas da população. Essa obra revela sua importância e atualidade ao mostrar os caminhos possíveis e o que efetivamente vem ocorrendo na realidade brasileira. É uma obra fundamental para os militantes, pesquisadores do movimento operário e dos movimentos sociais.


Veja o Livro:



A Reprodução das Relações de Produção - Henri Lefebvre


Dados do Livro:

LEFEBVRE, Henri. A Reprodução das Relações de Produção. Goiânia: Edições Redelp, 2016.


Sinopse

Henri Lefebvre discute a questão da reprodução das Relações de produção capitalistas. Como, apesar das dificuldades, crises e tentativas de revoluções, o capitalismo consegue sobreviver? Essa é a questão chave apresentada por Lefebvre, que discute o problema da reprodução desde Marx, passando pelo marxismo, III Internacional, Reich, althusserianismo, concepções das ciências humanas e pós-estruturalistas, até chegar ao problema da estratégia, do cotidiano e do poder.
  

Veja o livro:



A Revolução dos Ignorantes - Nildo Viana e Gleison Santos




Dados da Revista:

VIANA, Nildo e SANTOS, Gleison. A Revolução dos Ignorantes. Goiânia: Edições Redelp, 2016.


Acessar e ler gratuitamente (clique aqui).

Sinopse:

A Revolução dos Ignorantes é uma adaptação de um conto homônimo de Nildo Viana, realizada por Nildo Viana e Gleison Santos. A Revolução dos Ignorantes é uma história que narra a experiência de uma sociedade decadente e em crise, perpassada por divisões de classes, lutas, oposições e antagonismos em meio a um declínio da cultura, do saber e da teoria. Nesse contexto, as crises e tentativas de revoluções fracassam e acaba ocorrendo uma "revolução dos ignorantes", a mais terrível das revoluções.   


A Revolução Operária - Anton Pannekoek


Dados do livro:
PANNEKOEK, Anton. A Revolução Operária. Goiânia: Edições Redelp, 2016.


Sinopse:

Anton Pannekoek, um dos maiores teóricos do comunismo de conselhos, astrônomo renomado mundialmente, apresenta, nesta obra, uma análise fundamental dos conselhos operários, mostrando sua emergência e características como orgãos da revolução social e da futura sociedade comunista. É uma obra fundamental para quem quer conhecer o marxismo e a luta proletária pela emancipação humana. 

Veja o livro:



Que Fazer? A Resposta Proletária - Karl Jensen


Dados do Livro:

JENSEN, Karl. Que Fazer? A Resposta Proletária. Goiânia: Edições Redelp, 2016.


Sinopse:

O proletariado pode se autoemancipar? Lênin, quando escreveu sua obra O que fazer? estava correto ao dizer que essa classe só pode chegar a uma consciência reformista e sindicalista? Por isso é preciso de um partido para gerar a consciência socialista e introjetá-la na classe operária e dirigi-la para realizar a tomada do poder estatal? Essas afirmações entram em flagrante contradição com as teses de Marx e com a realidade das lutas proletárias. A resposta de Lênin para a pergunta sobre o que fazer é burocrática e a resposta social-democrata é burguesa.

É por isso que Karl Jensen se dedica a oferecer uma resposta proletária para essa questão, colocando a unidade indissolúvel, já expressa por Marx e retomada pelo comunismo de conselhos e pelo marxismo autogestionário, do qual ele faz parte, entre autoemancipação proletária e autogestão social. A resposta proletária também vai contra o reboquismo expresso em diversas tendências políticas que pretendem ser outro tipo de resposta, mas acaba mostrando não superar os limites da sociedade burguesa.

Veja o Livro:


Marxismo e Psicossociologia - Nildo Viana (org.).


Dados do Livro
VIANA, Nildo (org.). Marxismo e Psicossociologia. 2a edição, Goiânia: Edições Redelp, 2016.


Sinopse:

A presente coletânea aborda o tema marxismo e psicossociologia, sendo esta última expressão pouco conhecida em nosso país, embora bastante utilizada em outros, especialmente na França. A relação entre marxismo e psicologia, e com a psicologia social já possui inúmeras publicações no Brasil, porém sobre marxismo e psicossociologia há muito pouca coisa. Isto se deve ao fato de poucos textos dos representantes da chamada psicossociologia (também chamada de análise institucional, sociologia da intervenção, etc.) foram traduzidos para o português. No Brasil, além de alguns artigos na Revista Vozes, Georges Lapassade teve seu livro Grupos, Organizações e Instituições, editado pela editora Francisco Alves (que também publicou A Favor ou Contra a Autoridade, de Michel Lobrot) e Chaves de Sociologia, pela Paz e Terra, e René Lourau teve sua obra, A Análise Institucional, publicada pela Vozes, e mais alguns poucos textos. Um pouco depois foi publicado o livro de Max Pagès e outros, O Poder das Organizações, pela Atlas. Em Portugal há um número maior de publicações, seja em coletâneas ou livros isolados. Claro que seu número irá aumentar se adicionarmos os seus mais influentes inspiradores: Sigmund Freud, Carl Rogers, Kurt Lewin, Moreno e em alguns casos até Hegel, Sartre e Marx. A psicossociologia é pouco conhecida principalmente no Brasil e isto aumenta a importância da publicação dos presentes textos.

Veja Livro:

  


Estado, Luta de Classes e Autogestão Social - Edmilson Marques


Dados do Livro:
MARQUES, Edmilson. Estado, Luta de Classes e Autogestão Social. Goiânia: Edições Redelp, 2016.


Sinopse:

O livro Estado, Luta de Classes e Autogestão Social, de Edmilson Marques, é composto por um conjunto de ensaios marcados pela reflexão crítica sobre a sociedade moderna e alguns de seus principais mecanismos de reprodução (aparato estatal, aparato eleitoral, democracia representativa,etc.), as lutas de classes (voto nulo, greves,etc.) e a perspectiva de uma sociedade radicalmente diferente, a autogestão social. Nesse sentido, é uma obra fundamental para quem quiser ter acesso a uma análise crítica e projeto autogestionário.

Veja livro: